Siga os Arautos:

Procurar no site

Tópicos recentes

Comentários

Arquivos

Categorias

Meta

Stabat Mater (Nossa Senhora das Dores)

 

Nosssa Senhora das DoresHino litúrgico antigamente cantado na Santa Missa, em alusão a Nossa Senhora das Dores, o Stabat Mater Dolorosa ("estava a mãe dolorosa") foi motivo de centenas de adaptações musicais pelos compositores clássicos e contemporâneos, não só na versão original latina mas também nos idiomas vernáculos.  Suas palavras mostram a grande dor pela qual passou a Santíssima Virgem aos pés da cruz na qual o Salvador entregou seu espírito ao Pai.

 

 

 

 

 

 

Estava a mãe dolorosa

chorando junto à cruz

da qual seu Filho pendia.

 

Sua alma soluçante,

inconsolável e angustiada

era atravessada por um punhal.

 

Ó, quão triste e aflita

estava a bendita mãe

do Filho Unigênito!

 

Transpassada de dor,

chorava, vendo

o tormento do seu Filho.

 

Quem poderia não se entristecer

ao contemplar a Mãe de Cristo

sofrendo tanto suplício?

 

Quem poderia conter as lágrimas

vendo a mãe de Cristo

dolorida junto ao seu Filho?

 

Pelos pecados do seu povo

Ela viu Jesus no tormento,

flagelado por seus súditos.

 

Viu seu doce Filho

morrendo desolado

ao entregar seu espírito.

 

Ó mãe, fonte de amor,

faz-me sentir toda a tua dor

para que eu chore contigo.

 

Faz com que meu coração arda

no amor a Cristo Senhor

para que possa consolá-lo.

 

Mãe Santa, marca profundamente

no meu coração

as chagas do teu Filho crucificado.

 

Por mim, teu Filho coberto de chagas

quis sofrer seus tormentos,

quero compartilhá-los.

 

Faz com que eu chore

e que carregue com Ele a sua cruz

enquanto dure a minha existência.

 

Quero estar em pé

ao teu lado, junto à cruz

chorando junto a ti.

 

Virgem das virgens notável,

não sejas rigorosa comigo,

deixa-me chorar junto a ti.

 

Faz com que eu compartilhe a morte de Cristo

que participe da sua paixão

e que rememore suas chagas.

 

Faz com que me firam suas feridas,

que sofra o padecimento da cruz

pelo amor do teu Filho.

 

Inflamado e elevado pelas chamas,

seja defendido por ti, ó Virgem,

no dia do Juízo Final.

 

Faz com que eu seja custodiado pela cruz,

fortalecido pela morte de Cristo

e confortado pela graça.

 

Quando o corpo morrer,

faz com que minha alma alcance

a glória do Paraíso. Amém.

    .

Hino a Maria

   

Pe AMDesde que Santa Isabel proclamou a Virgem Maria “bendita entre todas as mulheres”, o Espírito Santo não cessa de inspirar cantos e poemas em honra de sua Esposa Imaculada. Como este hino, composto pelo Pe. Antonino Marino, Adjunto para a Vida Consagrada do Vicariato de Roma.

   

 

 

 

 

Alegrai-Vos, Rainha,

À direita do Rei eterno, Jesus Cristo,

Cordeiro imortal

E dominador da terra.

 

Sentai-Vos revestida

Da luz refulgente

Do Sol de Justiça,

O Verbo Encarnado,

Que Vos cingiu com doze estrelas

Como uma coroa sobre vossa cabeça.

 

Reinais sobre o trono

Da celeste Jerusalém,

Vestida como esposa

Que desce do Céu.

 

Admiráveis são vossas luzes

Que alegram a santa Cidade de Deus

Colocada sobre firmes fundamentos

Marcados pelos doze nomes

Dos enviados do Messias.

 

Os redimidos aclamam

Aquele que vence a morte

E exultam com vosso cântico de louvor

Nas palavras que são espírito e vida.

 

A vossos pés a lua ressalta com luz

O domínio de vosso nome santo

Que renova o mundo

Com a força do vosso coração

Que acolhe a vontade do Pai.

 

Amada e predestinada pelo Senhor,

O Verbo fez de Vós seu caminho,

E sobre solo fértil

Estendeu-se a sombra do Altíssimo,

Fazendo germinar o fruto bendito

Do vosso ventre, Jesus.

 

De Vós o autor da vida tomou vida.

Em Vós alegram-se todas as criaturas.

Aquele que do nada tirou

Todas as coisas que existem,

Criou-Vos primeira estrela da manhã

No firmamento celeste de seu Reino.

 

O Pai ao mundo Vos anuncia,

Mulher de salvação,

Valente guerreira em combate,

Que repara o pecado de Adão

Com perfeita e nova harmonia.

 

Mulher prometida depois de Eva,

Tornada imaculada desde o início,

Esmagais a cabeça do inimigo

Com a força da estirpe

Eleita e santa

Das testemunhas de Jesus Cristo

Que Vos oferece a nós como Mãe.

 

Virgem Senhora,

Esposa e Mãe,

Santa Maria de Deus

E da humanidade,

Ouvi o clamor e acolhei

as súplicas da família humana.

 

Virgem inefável e fiel,

Luzeiro da santa luz incriada,

Serva do Deus verdadeiro,

Encerrais em vosso seio

O mistério oculto nos séculos.

 

Velo regado de orvalho celeste,

Escrínio selado do Reino de Deus,

Levais em vosso nome

A pérola preciosa do Evangelho.

 

Ó Maria, com vossa fé dais início

Ao cumprimento das Escrituras

Da Lei e dos Profetas

E abris à eterna Aliança.

 

Honra do nosso povo,

Glória de Jerusalém,

Amor de todos os vossos filhos,

Ó toda bela e sagrada de Deus.

 

Vós, verdadeiro tesouro

Do qual haurimos

Coisas novas e antigas,

Rede lançada ao mar

Por ordem do Senhor,

Levais aos olhos cansados dos apóstolos

A surpresa dos milagres inesperados.

 

Mãe do pescador, do semeador,

Do agricultor e do bom pastor,

Ao vosso amor se rende todo amor.

 

Desposada com José, filho de Davi,

No Templo recebeis a espada

Predita por Simeão,

Que, ferindo vossa alma,

Atinge de um só golpe

A carne do Filho de Deus,

Que é vosso.

 

Vemos vossa maior dor no caminho,

Ali onde verteis lágrimas

Por aquele Sangue divino

Derramado na Cruz pelo Senhor.

 

Nova e verdadeira Mãe

Dos que têm a vida da fé,

Fonte da tristeza

Que a brisa do Espírito

Transforma ao romper da aurora

Na doce alegria da Páscoa.

 

O fogo do Espírito

Tempera os corações

Dos apóstolos, filhos vossos,

Ao redor daquela mesa

De unânime oração

Na qual a água da antiga Lei

Fazeis sempre transformar-se

No bom vinho do eterno amor.

 

Subis e emergis na luz solar

Do Eterno

Ao abraço concorde

Da Trindade santa e feliz,

E a espada de dor que Vos foi tirada

Transpassa agora na terra

O coração nascente da Igreja.

 

Ave Maria,

Saudada por Gabriel

E pelos coros celestes.

Ave Maria,

Virgem e esposa intemerata,

Vinha intacta, fonte selada,

Ovelha imaculada.

 

Atenta Serva do Senhor,

Verdadeira alegria do Bom Pastor

No aprisco eterno,

Incitais multidões de filhos vossos

A entrar no banquete da vida.

 

Oceano de todas as graças,

Abris a porta da casa de Deus

Para que ali possamos viver

Na eterna paz. Resplandeceis de luz

E indicai-nos o caminho,

Ó Mãe e Virgem prudente,

Cuja lâmpada jamais se apagou.

 

Guiai-nos ao porto,

Ó Estrela do Mar,

E estreitai vossos filhos a Vós,

Que os povos proclamam ditosa

Nas eternas núpcias do Esposo.

 

Mostrai-nos vosso rosto, ó clemente,

Volvei a nós vossos olhos, ó piedosa,

Sobre nós estendei vosso manto,

Ó doce Virgem Maria.

 

A Vós se eleve um hino de louvor,

Ó cheia de graça,

A Vós o pranto dos filhos

No caminho de volta

Ao vosso refúgio,

Ó Mulher entre todas bendita,

Santa Maria.

 

Revesti-Vos do traje nupcial

Tecido pelo vosso amor,

Ó mística rosa da sarça ardente,

Para o dia sem fim

Do convívio eterno

Na terra prometida pelo Senhor.

 

Ave, Filha do Pai.

Salve, Mãe do Filho.

Exultai e alegrai-Vos,

Esposa e templo do Espírito Santo.

Amém.

                                                                       Fonte: http://www.revista.arautos.com.br/RAE51-hino-a-maria.asp                                                                                                                                                                                                       .